Blog > Agricultura > Boas práticas para Fertilizar a sua Horta

De dia para dia, há cada vez mais pessoas que começam a perceber os benefícios de cultivar os próprios produtos.

Tratando-se de uma horta grande ou pequena, uma coisa é certa: o objetivo é que tudo aquilo que plantar cresça saudável.

Contudo, existem alguns erros comuns que podem fazer a diferença no sucesso do cultivo, nomeadamente quanto à fertilização.

Portanto, hoje vamos viajar pelo mundo dos fertilizantes e adubos para a horta para que possa esclarecer eventuais dúvidas.

 

Importância da Fertilização

A maioria das plantas precisa do solo para se desenvolver, pois é nele que as suas raízes se irão expandir.

Além disso, desempenha outras funções vitais, nomeadamente quanto à fixação da planta, para que não seja arrastada em condições meteorológicas agressivas, e também quanto ao fornecimento dos nutrientes que precisa.

Normalmente, absorve os nutrientes constantemente repostos de forma natural, através da decomposição de matéria orgânica.

O que acontece é que nem sempre é suficiente, entrando em deficiência nutricional, deixando de crescer de forma saudável.

A forma de repor estes nutrientes surge através dos fertilizantes.

Então, são essenciais para o desenvolvimento de qualquer horta, além de poderem ser úteis também para a fitossanidade, isto é, para a proteção contra pragas e doenças que afetam a qualidade do cultivo.

 

Que Fertilizantes escolher?

A primeira boa prática a reter é sempre escolher o produto adequado.

Hoje em dia existem várias opções à escolha, produzidas de forma artificial ou natural.

Antes de lhe darmos a conhecer quais são, deve saber que ambos partilham a mesma função: devolver ao solo os nutrientes necessários para garantir a sustentabilidade do cultivo.

E que nutrientes são esses?

Os principais, designados macronutrientes, são os seguintes:

  • Fósforo (P): responsável pelo aumento da capacidade de absorção nutricional pela raiz, além de estimular o crescimento de flores e frutos;
  • Potássio (K): papel importante na proteção contra pragas e doenças e também na resistência a secas, ao controlar a água dentro da planta;
  • Azoto/Nitrogénio (N): fundamental no desenvolvimento do caule e folhas.

Além destes, existem também micronutrientes importantes, como o magnésio (Mg), cálcio (Ca), ferro (Fe), zinco (Zn), cobre (Cu), entre outros, que completam a nutrição da planta, ainda que em quantidades menores.

 

Fertilizantes Artificiais ou Orgânicos?

Alguns fertilizantes, que trazem na sua composição estas substâncias fundamentais, são produzidos de forma artificial, através da extração de elementos naturais usando substâncias químicas.

Contudo, é importante que perceba que isso não significa que sejam prejudiciais, pois não representam riscos para a saúde.

Estes produtos são, muitas vezes, indicados para determinados tipos de plantas, consoante as suas necessidades nutricionais. Assim, existem para todos os gostos: para dar flor ou fruto, para hortaliças, e muitas outras opções.

Nem sempre é fácil saber o produto mais indicado, mas há uma boa notícia, principalmente para agricultores que estejam a iniciar a atividade: muitos deles já incorporam informações quanto ao tipo de planta a que se destinam.

Quanto aos fertilizantes naturais, vulgarmente chamados de adubos orgânicos ou naturais, são compostos obtidos através de matéria orgânica, como restos de vegetais ou animais, folhas e frutos, e podem decompor-se de forma natural ou usando alguns produtos agrícolas.

Assim, podem ser utilizados os seguintes:

  • Borras de café: fonte de azoto, fósforo e potássio, são opções indicadas para solos alcalinos (plantações de tomates ou rosas, por exemplo), pois aumentam a acidez;
  • Cascas de ovo: fornecem o cálcio necessário para o desenvolvimento celular das plantas;
  • Cascas de banana: ricas em potássio, azoto e cálcio, ajudam na formação de frutos e hortícolas, estimulando o crescimento;
  • Estrume: método antigo que fornece todos os nutrientes essenciais para o crescimento das plantas, especialmente vindo de vacas, galinhas ou cavalos.

 

Como aplicar os Fertilizantes?

Não basta saber apenas qual o fertilizante certo, é fundamental saber aplicá-lo.

Existem vários métodos que pode seguir, consoante o tipo de produto e as recomendações do fabricante. Seguem alguns exemplos:

  • Concentrado: alta concentração de nutrientes em pouco produto. Diluir em água antes da aplicação;
  • Pó solúvel: regar o solo com a mistura, depois de a diluir em água;
  • Granulado Encapsulado: colocar na zona onde está a planta. O produto vai libertando os nutrientes à medida que for regado;
  • Líquido: não é preciso diluir pois já vem pronto, basta aplicar;
  • Granulado: De cobertura ( junto da planta) ou Fundo ( incorporação na terra antes plantação ou sementeira).

Quanto à frequência e quantidade do processo, deve seguir as recomendações do fabricante do produto, para não fertilizar a mais nem a menos e prejudicar a horta.

No caso dos adubos orgânicos, durante o outono/inverno podem ser aplicados no mínimo a cada 3 meses e em época de primavera/verão a cada 2 meses.

 

Estimule o crescimento da sua Horta com a ajuda da Agriloja

Esclarecer todas as dúvidas quanto aos fertilizantes é dar um passo em frente na direção de uma horta bonita e saudável.

Confie na Agriloja para um aconselhamento especializado e personalizado. Além do mais, encontra ainda várias opções de nutrição vegetal, capazes de fazer maravilhas pela sua horta.

hortas

REDE DE LOJAS AGRILOJA

Ovar

Rua da Návega, nº 311-329 - Olho Marinho 3885-113 - Arada

(+351)256790670

geral.ovar@agriloja.pt

Segunda a Sábado:
Período da Manhã:
09:00 – 12:30
Período da Tarde:
14:00 – 18:30

Aberto aos Feriados.

Encerrada a: 1 de Janeiro | 3ª Feira de Carnaval | 1 de Maio | 1 de Novembro | 25 de Dezembro

Siga-nos nas redes sociais